Setembro Amarelo: o mês da prevenção ao suicídio

O mês de setembro é o mês oficial da prevenção ao suicídio, conhecido como Setembro Amarelo. Esse tema costuma assustar um pouco e nem todo mundo quer falar sobre isso. Mas ele é na realidade um assunto normal. Jogue fora o seu preconceito, pois as doenças da mente, assim como as doenças cardíacas, renais ou endócrinas, são tratáveis.
O médico que cuida das doenças mentais é o psiquiatra. Assim como os outros médicos, ele é formado em medicina e se especializa em psiquiatria por meio da residência médica ou possui título de especialista pela ABP/AMB.

A consulta com um psiquiatra é igual às outras. É feita uma entrevista sobre os sintomas e, se o médico achar necessário, ele vai solicitar exames clínicos e indicar o tratamento, que pode ser farmacológico ou psicoterápico. Tudo depende do quadro do paciente.

Existem muitas doenças mentais e para cada uma existe um tratamento adequado, seja para depressão, transtornos ansiosos, alimentares, dependência química, dentre outras. Mas é importante ressaltar que há tratamentos eficazes.

Se você está incomodado (a) com seus pensamentos, sentimentos ou comportamento, é fundamental que você procure um psiquiatra para buscar informações. Com o tratamento adequado você pode melhorar muito a sua qualidade de vida.
Doença mental não é uma sentença. Há tratamentos eficazes.

Fatores protetivos

Existem alguns fatores relacionados à vida de uma pessoa, que podem atuar como proteção para o suicídio.

  • – Ausência de doença mental
  • – Autoestima elevada
  • – Bom suporte familiar
  • – Capacidade de adaptação positiva
  • – Capacidade de resolução de problemas
  • – Estar empregado
  • – Realização de pré-natal
  • – Laços sociais bem estabelecidos com amigos e familiares
  • – Relação terapêutica positiva
  • – Frequência a atividades religiosas
  • – Ter sentido existencial
  • – Senso de responsabilidade com a família
  • – Ter crianças em casa

Fatores de risco

Existem alguns fatores que aumentam o risco de suicídio.

  • – Abuso sexual na infância
  • – Alta recente de internação psiquiátrica
  • – Doenças incapacitantes
  • – Impulsividade/Agressividade
  • – Isolamento Social
  • – Suicídio na família
  • – Tentativa prévia
  • – Doenças mentais

Toda pessoa tem alguns fatores protetivos e alguns fatores de risco para o suicídio. Sendo assim, na prevenção ao suicídio, várias medidas podem ser tomadas para aumentar os fatores de proteção e diminuir os de risco.

  • – Aumentar contato com familiares e amigos
  • – Buscar e seguir tratamento adequado para doença mental
  • – Envolvimento em atividades religiosas ou espirituais
  • – Iniciar atividades prazerosas ou que tenham significado para a pessoa, como trabalho voluntário e/ou hobbies
  • – Reduzir ou evitar o uso de álcool e outras drogas

É comum que em situações de crises, especialmente se a pessoa tem uma doença mental, surjam pensamentos de morte e mesmo de suicídio. No entanto, felizmente, a imensa maioria das pessoas que pensa em suicídio encontra melhores modos de lidar com os problemas e superá-los.
Para isso, é essencial identificar o problema e buscar os diversos modos saudáveis e construtivos de enfrentá-lo.

Fonte: Campanha Setembro Amarelo realizada por ABP (Associação Brasileira de Psquiatria), CFM (Conselho Federal de Medicina) e APAL (Associación Psquiátrica da América Latina)

A Casa do Roadie apoia a campanha do Setembro Amarelo.

Sua vida é importante, peça ajuda 🙂

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *